Lâmpada Mágica

Recém feito o check-in online do meu vôo para Doha, lembrei que não escrevemos nenhum post falando sobre a Qatar Airways, a lâmpada mágia que liberou o tapete pra gente viajar pras arábias :D

Se não fosse o preço ridiculamente barato do vôo ida e volta (US$ 311 pra Barcelona, US$ 370 pra Madrid), provavelmente ninguém teria falado em ir pra Europa esse ano. Ou teria, mas com certeza não seria com escala no oriente médio…

Da wikipedia, “A Qatar Airways Company Q.C.S.C. (القطرية) é a companhia aérea de Bandeira do Qatar. (…) é uma das 6 companhias aéreas a possuírem as prestigiantes 5 estrelas da Skytrax pelo seu excelente serviço. Em 2006 eleita como detentora da melhor tripulação do médio oriente e ainda a 4.º melhor companhia do mundo. Em 2007 a sua primeira classe foi eleita como a melhor do mundo. A Qatar possui características bastante inovadoras a bordo, sendo a primeira do mundo a ter Televisão digital por satélite.”

A empresa parece ser bacana, mas aqui pra nós, a grande pergunta é porque diabos um preço tão baixo? Nos parece, além da promoção de início das atividades da companhia no Brasil, que existe aí um gancho que nos leva a cidade de Doha. Todos os vôos são com escala lá (triplicando a distância/tempo de viagem), sendo que pra escalas acima de 8 horas eles dão hospedagem e traslado grátis (facilitando o pedido de visto). A minha escala no vôo de volta é de 8:05… realmente acho que eles querem que a gente dê uma banda em Doha ;)

No entanto, para usufruir dessas cortesias, é preciso ligar pro escritório da Qatar Airways em São Paulo (ligação interurbana normal em português) e fazer a solicitação, tendo em mãos o número da reserva do vôo, passaporte e validade. Quando liguei fui bem atendido (apesar de demorar uns 7 min de ligação) e a confirmação do pedido veio na mesma hora. Lembrando: A empresa não fornece vistos de permanência no Qatar, ela fornece documentos de reserva de hospedagem que, somados aos documentos solicitados pela imigração para visto, facilitam o processo.

Evidentemente, vamos viajar de classe econômica, afinal, é uma lâmpada mágica, não um prêmio da mega sena. No Boeing 777 em questão, são 3 poltronas em cada fileira, aparentemente com conforto suficiente pra passar as adoráveis 14 horas que o vôo vai durar até Doha. Diz a lenda que existem modelos de avião com wireless, onde os pobres mortais proprietários de um smartphone (como eu e o meu iPhone) poderão se comunicar com o mundo lá fora, twittar considerações sobre o ronco do gordão do lado, jogar colheita feliz, etc.

Quando chegarmos na Espanha, vou escrever uma continuação desse post, a partir do caso real. Fiquem ligados ;)

Anúncios

Você sabe onde é o Qatar?

Nunca vi, nem comi, só ouço falar.

E, por falar em ouvir, sente só a Qatar Radio: http://www.qatarmedialive.com/Generalradio.aspx

Sem palavras. Até porque não dá pra entender nenhuma mesmo.

Doha, Qatar

Momento Wikipedia.

O Qatar é um país de quase 1,6 milhão de habitantes que fica na Península Arábica. É quase metade do estado de Sergipe em área. Faz fronteira com os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita. Em 1971, conquistou sua independência dos domínios britânicos. Lá falam árabe e inglês. E, como podes supor, quase todo mundo é muçulmano. O país é rico por conta da exploração de petróleo. E bota rico nisso.

Haja coração!

Parece que Doha, a capital do Qatar, tentou sediar as Olimpíadas de 2016. Não levou, ficou com o Rio. Mas o pessoal lá é qatarense e não desiste nunca. Já tem a capanha pra sediar as Olimpíadas de 2020 e a Copa do Mundo de 2022. Haja petróleo. Aliás, o próximo jogo do Brasil de Mano vai ser lá, dia 17 de novembro contra a Argentina. AFA e CBF devem levar um bom troco por isso.

Seria muito legal ver esse jogo, ou passar mais tempo em Doha e conhecer um pouco mais da cultura árabe. Mas serão apenas algumas horas. Estaremos em Doha numa madrugada entre um vôo e outro, no dia 16 de novembro pra Larusso e Eve e no dia 2, acho, pra João e Leonardo.

Estamos pesquisando sobre a possibilidade de sair do aeroporto e dar um rolê de camelo pela cidade que, ao que tudo indica, é uma jóia no Oriente Médio.